Ficus

O gênero Ficus
é um dos maiores do Reino Vegetal com cerca de 755 espécies de figueiras no mundo, especialmente em regiões de clima tropical e subtropical e onde haja presença de água, contudo as figueiras ocorrem em todos os continentes, com exceção da Antártica.

Várias espécies de ficus são usados na ornamentação, porém não é recomendado seu plantio em calçadas ou próximas a construções pois suas raízes, em geral, tem crescimento intenso e com freqüência penetra pela estrutura de construções podendo causar danos a paredes e pavimentações.

Ficus carica

Curiosidades
A figueira do figo comestível (Ficus carica) é a primeira planta descrita na Bíblia, quando Adão se veste com suas folhas, ao notar que está nu (Gênesis 3:7).

O figo é considerado um fruto sagrado para os judeus. Ele faz parte dos sete alimentos que crescem na Terra Prometida, segundo a Torá (Deut. 8), o Antigo Testamento dos cristãos.

Para atravessar o deserto, os povos antigos do Oriente Médio e norte da África utilizavam frutas secas, entre elas o figo, ricas em nutrientes e fáceis de conservar.

Para os budistas a figueira Ficus religiosa é venerada pois, debaixo de uma delas, Buda alcançou a sua revelação religiosa.

Na Grécia antiga o figo era considerado um importante alimento e a sua exportação era proibida.

Arqueólogos israelenses descobriram que o figo já era cultivado na Cisjordânia há 11.400 anos.

No Egito antigo o figo era o alimento usado para a engorda do ganso para a produção do foie gras (o fígado de ganso gordo) o que, provavelmente, deu origem ao nome da iguaria (foie, figo; gras, gordo).

Os maias e os astecas utilizavam a casca de figueiras nativas da região para produzir o papel utilizado nos seus livros sagrados.

Bonsai
Para bonsai algumas espécies são muito usadas, as mais comuns no Brasil são Ficus benjamina, Ficus retusa, Ficus natasha, Ficus microcarpa e Ficus neriifolia.

A grande maioria das espécies usadas para bonsai gostam muito de calor, portanto deve-se evitar deixar exposto a neve, geadas ou ventos muito frios.

Trata-se de uma árvore forte e com fácil brotação, por este motivo o Ficus “aceita” muitos erros, podendo sobreviver mesmo em caso de erros nas podas, rega, substrato… e por isso é uma das melhores opções para principiantes na arte do bonsai.

Também se desenvolve bem rápido, para a maioria das espécies usadas para bonsai é possível fazer a “engorda” da planta mesmo em vasos. A única dificuldade é quanto ao frio extremo, em invernos rigorosos (abaixo de 12 graus) aconselha-se recolher a planta para o interior.

Um dos fatores que torna essas plantas tão fáceis de cuidar esta na sua grande resistência, ela sobrevive relativamente bem mesmo com apenas 2 horas de sol diário diretamente nas folhas, ainda pode-se recolhê-lo ao interior das casas desde que se procure manter uma umidade elevada e boa luminosidade, para isso deve-se manter ela próximo a uma janela.

O Ficus é muito versátil, pode ser trabalhado em praticamente todas os estilos de bonsai, até mesmo sekijoju (raiz sobre pedra) e kengai (cascata).

Geralmente aconselha-se a desfolha para reduzir o tamanho das folhas, faz-se isso no inicio do verão, contudo quando se desolha completamente um ramo ou um galho o fluxo de seiva interrompe e há possibilidade deste secar, por isso desaconselho a desfolha total.

Rega
Necessita de uma rega abundante e diária nas épocas de intenso crescimento, entre a primavera e o outono. É recomendável utilizar vermiculita no substrato para manter a umidade por mais tempo.

Deixe secar a terra entre duas regas, umidade constante no tronco e raízes favorece o surgimento de fungos, os Ficus suportam um solo um pouco seco sobretudo no inverno, mas não exagere.

No verão, pode-se regar com mais frequência, verifique se o solo esta secando, se for o caso regue mais que uma vez ao dia.

Quando mantido dentro de casa é importante tomar cuidado com a umidade, é conveniente borrifar as folhas, já que lhes agradam os ambientes úmidos.

Outra boa dica é borrifar sempre as folhas e limpa-las comum pano úmido, ao borrifar aumenta-se a umidade e a limpeza diminui a incidência de problemas com trips.

Mais informações sobre rega você encontra neste artigo.

Adubação
As espécies desse gênero evolui muito bem com adubação abundante no período de crescimento que é entre o inicio primavera e o fim do outono, porém deve-se suspender a adubação durante o inverno.

A adubação pode ser feita com adubos orgânicos de decomposição lenta e químicos ricos em Nitrogênio. Podem ser usados adubos líquidos por via foliar ou sólidos diretamente na terra

Uma vez ao ano é necessário a Adubação com micro nutrientes: cálcio (Ca), magnésio (Mg), enxofre (S), boro (B), cloro(Cl), cobre (Cu), cobalto (Co), ferro (Fe), etc.

Sempre fique atento para nunca adubar uma planta doente ou recém transplantada.

Transplante
O transplante pode ser feita até uma vez ao ano, normalmente uma vez a cada 2 anos, porém isso depende da situação das raízes, caso não tenham saturado o vaso não há a necessidade de transplantar.

O período ideal para o transplante é no fim do inverno antes do inicio das brotações.

Durante o transplantante de vaso 1/3 das raízes devem ser podadas, procure deixar o máximo de raízes finas que são responsáveis pela absorção de nutrientes e água.

Em geral o Ficus gosta de substrato levemente ácido, porém suporta bem a terra calcária, é por esse motivo que é comum que sementes germinem até mesmo em paredes de construção.

O solo ideal deve ser bastante drenante, porém deve manter suficiente umidade para não secar completamente durante um dia de calor, é recomendado o uso de vermiculita e argila expandida para este fim. Mais informações sobre substrato você encontra neste artigo.

Poda
A poda de manutenção pode ser feito durante todo o período de crescimento que vai do inicio da primavera ao fim do outono. Para isso deixe crescer os ramos até atingirem certo comprimento com cerca de 5 ou 6 pares de folhas, corte o ramo de modo a deixar apenas 2 ou 3 pares de folhas.

A poda estrutural (galhos grosso e tronco) deve ser feita durante o inverno quando a planta para de crescer para não prejudicar a evolução da planta.

É comum, mesmo em poda de ramos finos, a secreção de um tipo de latex nos cortes, por este motivo é recomendável regar a planta logo após as podas para evitar a desidratação.

Aramagem
A aramagem pode ser efetuada a qualquer época do ano, contudo é preciso prestar sempre atenção nas épocas de crescimento vigoroso (primavera e verão), para que o arame não estrangule os galhos, por este motivo o período mais tranqüilo para esse procedimento é no inverno.

Tome o cuidado de não colocar o arame já apertado a casca, isso pode impedir o fluxo correto da seiva, além disso com o crescimento acentuado da planta os arames assim começarão a marcar a casca rapidamente.

Os arames devem ser retirados após cerca de seis ou oito semanas, contudo se perceber que os arames estão estrangulando o galho ou ramo eles devem ser retirados imediatamente, quaisquer marcas podem ficar permanentemente na planta.

Multiplicação
Se dá por sementes, porém aceita estacas herbaceas e lenhosas, estacas de galhos e de raiz.

Comente usando o Facebook

comentários

Posted By admin

    4 Responses to “Ficus”

  1. [...] ficus natasha foi um presente de um grande amigo e professor, João Chaddad, esta planta foi produzida através [...]

  2. Fabricio says:

    Boa noite, meu caro! Parabéns pela explicação. Muito bom mesmo!! Tenho mais de 80 plantas em Varginha/MG mas ainda me considero um iniciante! Suas aulas chegam em muito boa hora e me serão (às plantas tb) de grande valia! Mais uma vez parabéns e muito obrigado!

  3. andretoledo says:

    Muito obrigado Fabricio, estou um pouco enrolado no momento, mas em breve voltarei a postar.

Leave a Reply




XHTML: You can use these tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Pesquisa
Calendário
December 2011
M T W T F S S
« Nov   Jan »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031