Textura de solo

Esse artigo é um complemento ao artigo sobre substrato para bonsai, como estamos aprendendo constantemente, sempre surge algo a acrescentar.

Sobre a questão de textura do solo, descobri algo muito pertinente, mas preciso começar com alguns conceitos para formar uma linha de raciocínio.

Estamos falando de solo aqui, por solo entenda a terra que se encontra nos campos e jardins, não estou falando aqui de substrato propriamente.

Já li artigos sobre substrato para bonsai onde o autor é categórico em afirmar que o denominamos substrato por não possuir solo em sua composição, isto é verdadeiro para a composição do substrato que ele utiliza, porém a maioria das misturas de substrato possui uma porcentagem de solo como parte orgânica da mistura.

Apesar destes serem conceitos sobre solo, são importantes para se entender algumas coisas referentes ao substrato que usamos em bonsai.

Textura

Os solos podem ser definidos quanto a sua textura, o que determina essa textura é a concentração de areia (sílica), limo (silte) e argila que o solo possui. Quanto menores as partículas, mais próximo de argiloso esta o solo, quanto maiores as partículas, mais próximo de arenoso ele está.

A textura e a estrutura do solo influenciam a quantidade de ar e água disponíveis para a planta por algumas razões:

As partículas de menores de argila são mais fortemente unidas que as partículas maiores de areia. Isso implica em pequenos poros para ar e água. As partículas maiores de argila tem 25 vezes mais área que as menores partículas de areia, quanto maior a superfície maior a retenção de água.

Consequentemente a areia retêm pouca água, porque seu grande espaço poroso permite que a água seja drenada livremente enquanto a argila reterá mais água em seus espaços porosos contra a força da gravidade.

Capilaridade

Ação capilar

Pense nesses espaços porosos como pequenos tubos, existe uma propriedade física chamado capilaridade pela qual os fluídos têm de subirem ou descerem em tubos extremamente finos.

Se um tubo que está em contato com esse líquido for fino o suficiente, a combinação de tensão superficial, causada pela coesão entre as moléculas do líquido, com a adesão do líquido à superfície desse material, pode fazê-lo subir por ele mesmo contra a ação da gravidade.

Esse efeito também está presente no transporte de seiva bruta no xilema das plantas.

Super retenção de líquidos

Apesar de os solos argilosos absorverem mais água, essa umidade não está inteiramente disponível para as plantas em crescimento. O que ocorre é que a ação capilar é tão intensa devido aos pequenos espaços porosos das partículas de argila que torna a retenção tão forte que a água não fica disponível para a planta.

Capacidade de campo

O termo capacidade de campo define a quantidade de água que fica no solo após sessar o fluxo gravitacional, ela é expressa pela porcentagem de peso.

A quantidade de água que um solo ainda retém depois de as plantas secarem completamente é chamada de “ponto de murchamento permanente”, a água ainda esta presente neste ponto, mas é tão fortemente retida que as plantas não tem capacidade de utilizá-la.

Aplicação em substrato para bonsai

Muitos solos do Brasil apesar de terem alto teor de argila, comportam-se como solos arenosos em termos de retenção de água. Este é um dos motivos pelo qual não se deve utilizar solo puro como substrato para vasos de bonsai.

No meu artigo anterior ficou um pouco confuso a ideia de que substratos altamente argilosos podem matar uma planta por desidratação mesmo a argila retendo tanta água.

As partículas em um substrato para bonsai devem ter de 2 a 5mm, quando se utiliza solo na composição do substrato, este deve ser peneirado de forma que as partículas utilizadas estejam nessa faixa de tamanho.

Outros materiais granulados e porosos devem ser utilizados para aumentar a capacidade de retenção de água disponível no substrato, tais como vermiculita, cinasita, caco de telha, etc. Estes materiais também devem respeitar o tamanho de 2 a 5mm.

Substrato para bonsai geralmente tem tem textura franca arenosa a arenosa, isso implica que mesmo o substrato recebendo uma quantidade excessiva de água, como no caso de uma chuva prolongada, a quantidade de água retida pelo substrato após o fluxo gravitacional (quando a gravidade não consegue mais escoar a água) não seja demasiada e ainda assim tenha água disponível suficiente para suprir a planta.

Comente usando o Facebook

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *