Estações do ano no Brasil


imagem_semana06

Mãe, cadê minhas estações

Moro, num país tropical… a canção é bela, mas falar do clima no Brasil é tanto quanto complicado, dada sua vasta extensão territorial, possui uma variada tipologia climática, muito quente e úmido em alguns lugares, muito frio e seco em outros…

E quando vamos falar de estações do ano, é preciso fazer uma distinção, não podemo confundir clima com o tempo, clima  é o comportamento da atmosfera ao longo do ano em um ponto qualquer da superfície da Terra, chamamos de tempo o comportamento do clima em um determinado dia ou parte dele, portanto é errado falar que o “clima esta maluco hoje”, nesse estamos falando do tempo. Já as estações são as formas que o clima se apresenta dentro de períodos do ano

Como temos uma grande variedade de climas dentro do território nacional, as estações do ano se comportam de forma diferente em cada um deles, isso dificulta muito o intercambio de informações.

Para nós humanos muitas vezes não há mudança perceptível de estação em grande parte do Brasil. Engana-se quem pensa que para as plantas é igual, elas sentem o mínimo de variação, tanto de temperatura, quanto de pluviosidade, por isso, definem as estações perfeitamente e em alguns casos, como nas caducifólias (plantas que caem suas folhas no inverno) vemos elas todas desfolhadas no inverno.

O que são as estações do ano

685px-Estações.svgAs estações resultam do eixo de rotação da Terra ser inclinado em relação ao plano orbital (aproximadamente 23,5 graus). Assim, em qualquer momento, uma parte do planeta estará mais diretamente exposta aos raios do Sol do que outra.

Esta exposição alterna conforme a Terra gira em sua órbita, portanto, a qualquer momento, independentemente da época, os hemisférios norte e sul experimentam estações opostas.

Foram ajustadas as estações à posição exata dos equinócios ( duração do dia é a mais longa do ano) e solstícios (dia e a noite duram o mesmo tempo), correlacionados com a influência da translação associada à mudança no eixo de inclinação da Terra, convencionou-se, no Ocidente, dividir o ano em somente quatro estações.

Porém é importante notar que essa divisão não é usada em todo o globo, algumas culturas ainda dividem o ano em cinco estações (veja mais), como a China por exemplo. Países como a Índia dividem o ano em apenas três estações: uma estação quente, uma estação fria e uma estação chuvosa. Já no continente Africano, países como Angola só têm duas estações, a das chuvas, quente e úmida, e o cacimbo, seca e ligeiramente mais fresca, principalmente à noite.

Dizem que no nordeste brasileiro tem duas estações, a estação do calor e a estação de trem! “ta-dá”.

O complicado clima brasileiro

Além de sua extensão, outros fatores influentes nos diversos climas brasileiros são as condições de temperatura, altitude, pressão e proximidade com o oceano. Esta grande diferenciação climática do país resulta, por sua vez, em paisagens vegetais bastante variadas, o que faz do Brasil um dos países detentores do ecossistema mais variado e complexo no mundo.

O território brasileiro está dividido em faixas climáticas: 92% do território localiza-se entre a linha do Equador e o Trópico de Capricórnio. Portanto, pode-se dizer que o clima brasileiro é predominantemente tropical, ainda apresentando faixas equatoriais e sub-tropicais (zonas temperadas) distribuídos entre os 8% restantes do território.

A predominância de altitudes mais baixas ao longo do território nacional acarretam em temperaturas mais elevadas. as temperaturas médias predominantes são superiores a 20 C.

A  classificação climática de Köppen, é o sistema de classificação global dos tipos climáticos mais utilizada. A classificação é baseada no pressuposto, com origem na fitossociologia e na ecologia, de que a vegetação natural de cada grande região da Terra é essencialmente uma expressão do clima nela prevalecente. Assim, as fronteiras entre regiões climáticas foram selecionadas para corresponder, tanto quanto possível, às áreas de predominância de cada tipo de vegetação.

Funciona assim:

A primeira letra (indicador de grupo)

Código Tipo Descrição
A Clima tropical
  • Climas megatérmicos
  • Temperatura média do mês mais frio do ano > 18 °C
  • Estação invernosa ausente
  • Forte precipitação anual (superior à evapotranspiração potencial anual)
B Clima árido
  • Climas secos (precipitação anual inferior a 500 mm)
  • Evapotranspiração potencial anual superior à precipitação anual
  • Não existem cursos de água permanentes
C Clima temperado ou
Clima temperado quente
  • Climas mesotérmicos
  • Temperatura média do ar dos 3 meses mais frios compreendidas entre -3 °C e 18 °C
  • Temperatura média do mês mais quente > 10 °C
  • Estações de Verão e Inverno bem definidas
D Clima continental
ou Clima temperado frio
  • Climas microtérmicos
  • Temperatura média do ar no mês mais frios < -3 °C
  • Temperatura média do ar no mês mais quente > 10 °C
  • Estações de Verão e Inverno bem definidas
E Clima glacial
  • Climas polares e de alta montanha
  • Temperatura média do ar no mês mais quente < 10 °C
  • Estação do Verão pouco definida ou inexistente.

A segunda letra (indicador de tipo)

Código Descrição Aplica-se
ao grupo
S
  • Clima das estepes
  • Precipitação anual total média compreendida entre 380 e 760 mm
B
W B
f
  • Clima húmido
  • Ocorrência de precipitação em todos os meses do ano
  • Inexistência de estação seca definida
A-C-D
w
  • Chuvas de Verão
A-C-D
s
  • Chuvas de Inverno
A-C-D
w’
  • Chuvas de Verão-outono
A-C-D
s’
  • Chuvas de Inverno-outono
A-C-D
m
  • Clima de monção:
  • Precipitação total anual média > 1500 mm
  • Precipitação do mês mais seco < 60 mm
A
T
  • Temperatura média do ar no mês mais quente compreendida entre 0 e 10 °C
E
F
  • Temperatura média do mês mais quente < 0 °C
E
M
  • Precipitação abundante
  • Inverno pouco rigoroso
E

A terceira letra (indicador de subtipo)

 

Código Descrição Aplica-se
aos grupos
a : Verão quente
  • Temperatura média do ar no mês mais quente ≥ 22 °C
C-D
b : Verão temperado
  • Temperatura média do ar no mês mais quente < 22 °C
  • Temperaturas médias do ar nos 4 meses mais quentes > 10 °C
C-D
c : Verão curto e fresco
  • Temperatura média do ar no mês mais quente < 22 °C
  • Temperaturas médias do ar > 10 °C durante menos de 4 meses
  • Temperatura média do ar no mês mais frio > -38 °C
C-D
d : Inverno muito frio
  • Temperatura média do ar no mês mais frio < -38 °C
D
h : seco e quente
  • Temperatura média anual do ar > 18 °C
  • Deserto ou semi-deserto quente (temperatura anual média do ar igual ou superior a 18 °C)
B
k : seco e frio
  • Temperatura media anual do ar < 18 °C
  • Deserto ou semi-deserto frio (temperatura anual média do ar inferior a 18 °C)
B

 

Os principais tipos climáticos brasileiros segundo Köppen: climas_br

AfClima Tropical Úmido ou Clima Equatorial

AmClima de monção

AwClima tropical com estação seca no inverno

BShClima das estepes quentes de baixa latitude e altitude

BWhClima das regiões desérticas quentes de baixa latitude e altitude

CfaClima temperado úmido com verão quente

CfbClima temperado úmido com verão temperado

CwaClima temperado úmido com inverno seco e verão quente

Cwb Clima temperado úmido com inverno seco e verão temperado

classificacao_sp
Classificação climática de Köppen para o estado de São Paulo.

Você pode consultar o clima dos municípios do estado de São Paulo através do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas a Agricultura da Unicamp.

Mas e as estações?

Pode-se dizer que no Brasil predominam duas estações, a estação das chuvas (primavera – verão) e a estação da seca (outono-inverno), porém como vimos, isto varia muito de lugar para lugar, mesmo dentro de uma região ou estado.

Primavera

Há uma mudança no regime de chuvas e temperaturas na maior parte do Brasil.

Nas Regiões Centro-Oeste e Sudeste, as chuvas passam a ser mais intensas e freqüentes, marcando o período de transição entre a estação seca e a estação chuvosa.

Durante a primavera, iniciam-se as pancadas de chuva no final da tarde ou noite, devido ao aumento do calor e da umidade que se intensificam gradativamente no decorrer desta estação.

Na Região Sul, ocorrem poucas alterações nos totais mensais de chuva, sendo o regime praticamente uniforme ao longo de todo o ano.

No trimestre setembro, outubro e novembro, a maior parte da Região Nordeste encontra-se na sua estação seca, exceto no sul dos Estados do Piauí, Maranhão e no oeste da Bahia.

O centro-sul da Região Norte, o período chuvoso inicia-se nos meses de outubro e novembro, com o aumento gradativo das pancadas de chuva e trovoadas.

Na primavera, as temperaturas aumentam gradativamente nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. No Brasil Central, as temperaturas máximas podem atingir valores muito elevados em função da forte radiação solar e da maior freqüência de dias com céu claro.

Nas Regiões Norte e Nordeste do Brasil, há pouca variação de temperatura ao longo do ano.

verao
Primavera. Precipitação – Temperatura mínima – Temperatura máxima

Verão

A expressão verão vem do latim vulgar (veranum, i.e., veranuns tempus). Esta estação engloba também os meses de janeiro, fevereiro e março, com pico em janeiro, mês considerado de alta temporada de férias no Brasil.

A estação de verão é caracterizada, basicamente, por dias mais longos que as noites. Ocorrem mudanças rápidas nas condições diárias do tempo, levando à ocorrência de chuvas de curta duração e forte intensidade, principalmente no período da tarde. Considerando o aumento da temperatura do ar sobre o continente, estas chuvas são acompanhadas por trovoadas e rajadas de vento, em particular nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País.

Os maiores totais acumulados de chuva concentram-se principalmente nas Regiões Sudeste, Centro-Oeste e extremo sul do Amazonas com valores médios superiores a 600 mm. Estas chuvas podem estar associadas à passagem de sistemas frontais e à formação do sistema meteorológico conhecido por Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), cuja principal característica é a ocorrência de chuvas por vários dias, resultando em enchentes e deslizamentos de terra.

Na Região Nordeste, iniciam-se as chuvas, com valores máximos no mês de fevereiro. Dependendo da qualidade do período chuvoso, esta estação pode ser caracterizada pela ocorrência de “veranicos” (períodos de estiagem com duração de 7 a 15 dias).

Na Região Sul, as chuvas variam entre 300 mm e 500 mm.

verao
Verão. Precipitação – Temperatura mínima – Temperatura máxima

Outono

Sendo uma estação de transição entre o verão e inverno, verificam-se características de ambas, ou seja, mudanças rápidas nas condições de tempo, maior freqüência de nevoeiros e registros de geadas em locais serranos das Regiões Sudeste e Sul.

Nota-se uma redução das chuvas em grande parte do País, com o registro dos maiores totais de chuva, superiores a 700 mm, no extremo norte das Regiões Norte e Nordeste e no leste do Nordeste, onde se inicia o período mais chuvoso.

No restante do País, predominam totais de chuva entre 150 mm e 400 mm.

Nas Regiões Sul, Sudeste e parte da Região Centro-Oeste do Brasil, as temperaturas tornam-se mais amenas devido à entrada de massas de ar frio, com temperaturas mínimas que variam entre 12ºC a 18ºC, chegando a valores inferiores a 10ºC nas regiões serranas.

Nestas mesmas áreas, as temperaturas máximas oscilam entre 18ºC e 28ºC. Nas Regiões Norte e Nordeste, as temperaturas são mais homogêneas: a mínima variando em torno de 22ºC, e a máxima variando entre 30ºC e 32ºC.

outono
Outono. Precipitação – Temperatura mínima – Temperatura máxima

Inverno

Nesta estação, que compreende os meses de junho, julho e agosto, as temperaturas são climatologicamente amenas.

Nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste, este trimestre é considerado o menos chuvoso do ano no que se refere a distribuição de chuvas.

Neste período, o principal sistema meteorológico é a frente fria. Este sistema é, geralmente, de fraca intensidade, embora possa ocorrer a passagem de algum sistema frontal mais intenso, causando chuvas generalizadas nas Regiões Sul e Sudeste.

Após a passagem de frentes frias, observa-se a entrada de massas de ar frio que, dependendo da sua trajetória e intensidade, provocam queda de temperatura e ocasionalmente geadas em locais serranos.

Localidades como Campos do Jordão, Itapeva, São Antônio do Pinhal e muitas outras cidades, situadas em lugares altos no Estado de São Paulo, registram valores negativos de temperatura.

Outro aspecto meteorológico que se observa durante o inverno, são as constantes inversões térmicas que causam nevoeiros e neblinas. Estas inversões, muitas vezes, permanecem durante o período da manhã. O nevoeiro consiste na existência de gotículas d’água que flutuam no ar e reduzem a visibilidade a menos de 1000 m.

Além da redução da visibilidade, um outro fator importante é o alto índice da umidade relativa do ar, cujos valores alcançam até 98% no período da manhã. O contrário ocorre no período da tarde, após a dissipação do neveoiro, quando o índice da umidade relativa do ar diminui consideravelmente, chegando a registrar valores de até 40%.

O ar seco e o vento calmo favorecem a formação da bruma – substâncias sólidas suspensas na atmosfera, tais como poeira e fumaça – poluindo o ar.

inverno
Inverno. Precipitação – Temperatura mínima – Temperatura máxima

Inicio das estações

Datas do inicio oficial das estações no hemisfério sul, data e hora UTC dos solstícios e equinócios entre 2002 e 2017.

Ano Equinócio
Março
(OUTONO)
Solstício
Junho
(INVERNO)
Equinócio
Setembro
(PRIMAVERA)
Solstício
Dezembro
(VERÃO)
Dia Hora Dia Hora Dia Hora Dia Hora
2002 20 19:16 21 13:24 23 04:55 22 01:14
2003 21 01:00 21 19:10 23 10:47 22 07:04
2004 20 06:49 21 00:57 22 16:30 21 12:42
2005 20 12:33 21 06:46 22 22:23 21 18:35
2006 20 18:26 21 12:26 23 04:03 22 00:22
2007 21 00:07 21 18:06 23 09:51 22 06:08
2008 20 05:48 20 23:59 22 15:44 21 12:04
2009 20 11:44 21 05:45 22 21:18 21 17:47
2010 20 17:32 21 11:28 23 03:09 21 23:38
2011 20 23:21 21 17:16 23 09:04 22 05:30
2012 20 05:14 20 23:09 22 14:49 21 11:11
2013 20 11:02 21 05:04 22 20:44 21 17:11
2014 20 16:57 21 10:51 23 02:29 21 23:03
2015 20 22:45 21 16:38 23 08:20 22 04:48
2016 20 04:30 20 22:34 22 14:21 21 10:44
2017 20 10:28 21 04:24 22 20:02 21 16:28

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Esta%C3%A7%C3%A3o_do_ano

http://pt.wikipedia.org/wiki/Equin%C3%B3cio

http://pt.wikipedia.org/wiki/Solst%C3%ADcio

http://www.abcdobonsai.com.br/as-estacoes-do-ano-no-brasil/

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/climas-do-brasil/climas-do-brasil-5.php

http://pt.wikipedia.org/wiki/Classifica%C3%A7%C3%A3o_clim%C3%A1tica_de_K%C3%B6ppen-Geiger

http://clima1.cptec.inpe.br/estacoes/#

http://www.cpa.unicamp.br/outras-informacoes/clima-dos-municipios-paulistas.html

Comente usando o Facebook

comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *